14 lugares lindíssimos na Chapada Diamantina que você não precisa gastar com guias para conhecer

Localizada no coração da Bahia, a Chapada Diamantina abriga grutas, cavernas, cânions, piscinas naturais e até algumas das cachoeiras mais altas do país, que caem das elevações de pedras monumentais. O Parque Nacional da Chapada Diamantina tem 1520 km² – uma gigantesca área silvestre sem sinalização e trilhas pouco demarcadas. É importante contratar um guia para alguns dos passeios mais difíceis dentro do parque, mas existem várias atrações da região que podem ser visitadas por conta própria.

Para conhecer a chapada sem contratar pacotes de viagem, o ideal é alugar um carro 4×4 de Salvador ou Vitoria da Conquista e partir para as “capitais” do local: Lençóis, Mucugê, Andaraí, Ibicoara, Palmeiras e Rio de Contas. Escolha as cidades de acordo com os passeios que pretende fazer para diminuir o tempo na estrada.

Conheça 14 destinos para conhecer na Chapada Diamantina por conta própria:

1- O morro é o principal cartão postal da Chapada. Para subir até o cume bastam 2 minutos de caminhada em 300 metros íngremes a partir do estacionamento. Deixe a subida para o fim da tarde para curtir o pôr do sol do topo – a entrada é permitida até 17h.

2- Gruta Torrinha, Lençóis: Uma das grutas mais ricas do Brasil. É possível chegar até ela sem guia, mas a circulação pelos três percursos da gruta só é permitida com auxílio de um monitor do local. Quem visita precisa ter algum preparo físico para se espremer entre blocos de rocha e andar agachado até salões com helictites, flores de aragonita e uma sequência de 60 metros de estalactites.

3- Gruta Lapa Doce, Lençóis: Um paredão de 72 metros de altura esconde a boca da gruta. Para entrar é necessário fazer uma escalada íngreme, mas os espeleotemas que sugerem formações curiosas valem a pena. A visita só pode ser feita com guia contratado na entrada e dura 1h30. No local há lanchonete e restaurante por quilo.

4- Gruta da Pratinha, Lençóis: Entra-se na gruta caminhando por uma pequena trilha ou tirolesa (R$10), que termina no rio de água azul clara que brota de dentro da Pratinha. Com auxílio de snorkel, é possível ver peixes e formações rochosas curiosas no túnel inundado.

5- Cachoeira Poço do Diabo, Lençóis: Há rapel e tirolesa para brincar no local. A trilha para a cachoeira dura apenas 15 minutos e começa ao lado de uma lanchonete na beira da estrada. Mas vale avisar: quem tem Boca vai à Roma, pois o local não é sinalizado.

6- Cachoeira dos Mosquitos, Lençóis: É preciso andar por 15 minutos desde o estacionamento para chegar à Cachoeira. Ela fica próxima à Serra das Paridas, onde há três sítios arqueológicos com pinturas rupestres.

7- Cidade de Lençóis: A porta de entrada da Chapada fica próxima ao aeroporto e tem acesso fácil pela BR-242. Diversos passeios na região partem de lá. Os turistas que fazem passeios durante o dia se concentram à noite nos estabelecimentos das ruas da Baderna, das Pedras e na Praça Horácio Matos.

8- Poço Azul, Andaraí: Flutuar no poço cristalino que brota da caverna é uma experiencia deliciosa, ainda melhor se feita entre fevereiro e outubro, das 13h30 às 14h30, quando os raios de sol deixam a água com tonalidades azuis e revelam formações rochosas debaixo d’água.

9- Galeria Arte & Memoria, Igatu: Ruínas de casas de pedra antigas e utensílios usados no garimpo entre 1930 e 1950 dividem espaço com esculturas de arte contemporânea.

10- Poço encantado, Itaetê: Localizado dentro de uma caverna, o poço tem águas transparentes. Não é permitido entrar na água. O poço ganha tons azulados quando o sol incide por uma fenda, de abril a setembro, entre 10h e 12h.

11- Cachoeira da Fumaça, Vale do Capão: Uma fina cortina de água despenda por uma abertura do paredão e vai desmanchando-se ao longo da queda – quase nada de água chega ao chão. A caminhada de 2h por 6 quilômetros é um pouco complicada, com muitas pedras, nenhuma sombra e terreno íngreme.

12- Cachoeira do Riachinho, Vale do Capão: Uma queda de 8 metros desemboca em piscinas naturais depois de uma caminhada curta e fácil.

13- Caminhada pelo Vale do Capão: A cidade em si tem atmosfera meio hippie e dela parte trekkings difíceis e belos pelo Vale do Paty, que só podem ser realizados com guia, que pode ser contratado na cidade.

14- Cemitério Bizantino, Mucugê Uma sequência de lápides brancas imitando igrejas góticas compõem o Cemitério, na beira da estrada BA-142. As construções são do começo do século XIX, quando surtos de varíola e cólera atingiram o lugar e sua influência bizantina vem dos compradores de diamantes da origem que viviam na região. Holofotes azuis colorem as lápides durante a noite.

aventura, bahia, chapada, desbrave, desbrave o mundo, destinos, diamantina, free, grátis, mochileiros, natureza, turismo, turistas, viagem, viajantes, viajar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Contato Geral:
[email protected]

Contato Publicitário
[email protected]

Developed By Vedrak