O Portão do Inferno no Turcomenistão

Localizada no deserto de Kakarum, a 260 quilômetros da aldeia de Darvaz – também conhecida como Darvaza ou Derweze (que significa “O Portão”, em turcomano), em Turcomenistão, Ásia Central – com apenas 350 habitantes, está uma imensa cratera em  chamada “Cratera de Darvaz”, apelidada pelos habitantes da região de “Porta do inferno”.

Referindo-se ao fogo, lama fervente e as chamas alaranjadas, criando um cenário que lembra a descrição popular do acesso principal ao Reino de Hades (na mitologia grega, o Reino de Hades é a terra dos mortos, para onde as almas se dirigem após a morte.

Os moradores locais são principalmente turcomanos da tribo Teke, que possuem um estilo de vida seminômade. O buraco se tornou um ponto turístico que atrai muitos aventureiros que passam pelo deserto só para ver a cratera.

O local foi encontrado em 1971, quando engenheiros da extinta União Soviética pensaram que poderia ser um campo de petróleo. A partir desse pensamento, eles montaram acampamento com uma plataforma de perfuração para avaliar a quantidade de gás e petróleo disponíveis no local. Como os soviéticos estavam satisfeitos com o sucesso em encontrar esses recursos, começaram a armazenar o gás. Até que, durante as escavações foi encontrada uma caverna subterrânea, muito profunda, repleta de gás toxico.

Em certo momento das escavações, o chão sob a plataforma cedeu, abrindo uma grande cratera que engoliu os equipamentos. Ninguém morreu, mas uma grande quantidade de gás metano foi lançada na atmosfera, criando enormes problemas ambientais e imenso dano ao povo das aldeias.

Temendo a liberação de mais gases nocivos, os cientistas decidiram queimá-los. Eles consideraram que seria mais seguro queimá-los, do que extraí-los do subsolo. Naquele tempo, as expectativas eram de que o gás queimaria por alguns dias, mas ainda está queimando, décadas depois de ter sido incendiado. Não há previsão de quando o fogo finalmente cessará, já que a quantidade de gás na cratera é incerta.

O país, onde o deserto de Kakarum ocupa 70% do território, tem a 4ª maior reserva de gás natural do mundo e produz 45 bilhões de metros cúbicos de gás por ano. A Porta do Inferno, com 60 metros de largura e 20 de profundidade, queima uma grande quantidade de gás por dia. O forte cheiro de enxofre pode ser sentido a distância e, em noites escuras, o brilho da cratera pode ser visto de longe.

Em abril de 2010, o presidente do país, Gurbanguly Berdimuhamedow, visitou o local e ordenou que o buraco fosse fechado ou que fossem tomadas medidas para limitar sua influência no desenvolvimento de outros campos de gás natural na área. O Turcomenistão planejava aumentar sua produção de gás natural, com a intenção de aumentar sua exportação de gás para a China, Índia, Irã, Rússia e a Europa Ocidental. No entanto, mesmo com a tentativa do presidente, a ideia não teve sucesso.

O forte apelo turístico da cratera, fez com que o governante mudasse de ideia e deixe que a cratera apague o fogo sozinha quando o gás acabar.

 

asia, aventura, caverna, chamas, chão, cratera, Darvaza, desbrave o mundo, deserto, destinos, fogo, gás, inferno, larva, petróleo, ponto turístico, porta, portão do inferno, Turcomenistão, turismo, viagem, viajantes, viajar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Contato Geral:
[email protected]

Contato Publicitário
[email protected]

Developed By Vedrak